Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Olímpia-SP - Home Page
 
  Olímpia-SP, Quarta-Feira, 24 de Julho de 2024
 
  Página Inicial
  Quem Somos
  Palavra do Presidente
  Diretoria
  Editais
  Atas
  Previdência
  Estatuto
  Legislação
Juridico
  Prestação de Contas
  Convênios
  Notícias
  Filie-se
  Links Úteis
 

Fale Conosco

 
 
Convênios e Parcerias  
 
Notícias
 
Pensão irregular recebida antes de notificação não precisa ser devolvida - Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Olímpia-SP
Pensão irregular recebida antes de notificação não precisa ser devolvida
05/07/2024

O dinheiro recebido por pensionista antes da notificação, por parte da administração pública, de uma irregularidade não precisa ser devolvido ao erário, sendo observado o princípio da boa-fé.

Essa fundamentação é do juiz Paulo Ricardo de Souza Cruz, da 5ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal, que julgou parcialmente procedente o pedido de uma mulher de inexigibilidade de valores recebidos de forma acumulada como pensionista e servidora aposentada. O dinheiro recebido superava o teto constitucional estabelecido no julgamento do Supremo Tribunal Federal no Tema 359.

No processo, a servidora aposentada alegou que foi intimada pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal por causa do recebimento de valores irregulares, que superavam o estabelecido pelo Supremo em julgamento finalizado em 2020 (Recurso Extraordinário 602.584). Os ministros decidiram que, para pensionistas cujos instituidores morreram após a Emenda Constitucional 19/1998, deveria ser aplicado o teto constitucional sobre a soma dos proventos.

A autora da ação foi cobrada por um repasse, em tese irregular, de mais de R$ 100 mil, mas alegou que “o pagamento não decorreu de erro de cálculo ou operacional, mas, sim, de demora da autoridade administrativa incumbente do processo administrativo”.

Verba alimentar

Na decisão, o juiz citou fundamentação que determinou que os valores recebidos antes da autuação (que se deu em 13 de janeiro de 2022) feita pela administração pública “não são repetíveis, por se tratar de verba alimentar recebida de boa-fé”.

“A partir dessa data, porém, as verbas devem ser devolvidas, pois não há que se falar mais em recebimento de boa-fé. A instauração do processo administrativo e consequente notificação do interessado sobre a existência de irregularidade no recebimento dos rendimentos fragiliza a alegada boa-fé, pois, a partir de então, o servidor é sabedor de que o valor recebido é indevido. Presente, portanto, a probabilidade do direito para a suspensão dos valores recebidos antes de 13/01/2022”, diz o trecho citado pelo julgador.

Ele citou ainda a necessidade de urgência por causa do periculum in mora. “O perigo da demora também se faz presente, pois, ainda que os valores descontados possam ser devolvidos caso a autora se sagre vencedora na ação, trata-se de verba de natureza alimentar destinada à subsistência da servidora.”

Fonte: Consultor Jurídico

 
19/07
  Auxílio-doença pago junto com aposentadoria não pode ser devolvido
19/07
  Grávida não pode ser eliminada de processo seletivo por deixar de apresentar exames médicos.
19/07
  Especialistas cobram reestruturação e servidores em todas as área da educação
19/07
  A monetização dos dados do INSS
19/07
  Trabalhador que passa por desvio de função tem direito à diferença de salário entre os cargos.
Mais Notícias     
 
 
Filie-se agora!
 
Transparência - Prestação de Contas
 
Unimed Rio Preto
 
HB SAÚDE S/A
 
Oral Sin - Olímpia
 
São Francisco Odonto
 
AUSTAclínicas
 
Sisnatur Card
 
UNINTER EDUCACIONAL S.A.
 
Fesspmesp - Sindicato dos Servidores
 
Colégio Liceu Olímpia
 
 

 
Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Olímpia
 
 
 
Endereço
Rua Sete de Setembro, nº 456, Centro
CEP: 15400-000 - Olímpia-SP
 
 
 
 
 
Fale Conosco